Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aventuras de um português na Alemanha

Rating das televisões em Portugal: lixo

Será admissível que num país Europeu do século XXI os telejornais em horário nobre fiquem 40 minutos desde a sua abertura a falarem de um clube de futebol que ganhou um campeonato? Eu digo 40 minutos porque esse foi o minuto em que desliguei o Jornal da TVI, após ainda ter tido esperança de ver alguma outra notícia que marcou a atualidade em Portugal e no mundo, e talvez ouvir o comentário do Professor Marcelo.

Eu até posso aceitar, enquanto cidadão, que abram o telejornal a referir tal proeza (4 anos depois o Benfica é campeão), mas os canais portugueses gostam da festa... de mostrar o inutil (às tantas ligaram em direto para Paredes onde estavam umas 20 pessoas a festejar). E onde ficou a informação?

Eu gosto de futebol. Mas 40 minutos??? Caramba, as televisões que têm o dever de educar e informar na verdade são lixo. Puro lixo informativo, onde o assessório e especulativo é mais importante que o informativo. Não aprenderam estes "jornalistas" (faço entre aspas porque julgo que envergonham a categoria da profissão) qual a sua missão? A sua função enquanto mensageiros da informaçao? Mas nao... importante era mostrar 15 camaras a apontar para o nada e a repetir 30 vezes o mesmo. É assim tao importante para o país a vitória (mais que anunciada) do Benfica como campeão nacional?

 

Após desistir ao minuto 40 onde ainda ía a reportagem, resolvi entao procurar outras fontes de informação (neste caso o site do jornal Público) e pude então informar-me do que se passou neste mundo e que, de acordo com as nossas televisoes, não merecem destaque nem ao minuto 40. Será que não haviam assuntos tão ou bem mais atuais e importantes? Pois bem:

- A situação na Ucrânia está a escalar para um nível preocupante de violência: a guerra civil pode estar por dias

- Morreu um grande estilista nacional: Augustos

- O PS subiu nas intenções de voto para as Europeias

- Foram a enterrar os 2 pescadores de Vila do Conde que morreram na faina esta semana

- Continuam as buscas para procurar sobreviventes no naufrágio na Coreia

- Mau tempo no regresso da Páscoa: bastantes acidentes

- O Benfica é campeao nacional de futebol

(e outras...)

 

Fico triste com a lixeira das nossas televisões: fiquei eu à espera de informação (e a levar por cima, antes das 20:00, com um programa pimba de música pimba que explora o sentimento e necessidade das pessoas para telefonarem na esperanca de ganharem um prémio) - outra tristeza - das muitas que as nossas tvs nos presenteiam.

Comparo com a Alemanha: as noticias são dadas de forma sucinta, objetiva, e com conteúdo. Em 30 minutos é o tempo máximo que dura um telejornal aqui. Os cidadãos exigem este rigor, serem informados. Paga-se por isso, claro (aqui cada habitacao tem de pagar obrigatoriamente 17,90€ por mês de taxa de audiovisual: sim, eu e todos aqui pagam mais de 200 euros por ano  para isso. É muito... milhares de milhões de euros, mas até fico a pensar que "ainda bem que pago", pois para ter a vergonha dos telejornais em Portugal estou disposto a pagar esse valor.

 

Julgo que os media em Portugal (pincipalmente em Lisboa) pensam que o povo ainda é provinciano. Estão errados, e estão a subestimar a sua inteligência. Mas o lixo ainda vende, e enquanto vender acho que continuarão a fazer o mesmo. Mas nao se admirem por perderem audiências todos os anos. Até irem todos para a rua despedidos pela falência.

A televisão está ao nível de lixo. Os media em geral em Portugal estão ao nível da divida suberana, dos nossos políticos e de muitos empresários. Tenho de conlcuir que está bem para o país que temos... infelizmente!

Orgulho de ser Português

Coragem... Espírito de sacrifício... Lutar até ao fim... Não chegámos à final, mas para mim foi como lá chegássemos.
Quem tudo faz a mais não é obrigado. Nas meias finais mostrámos que somos capazes de fazer do melhor que existe! E por issso enquanto Português estou agradecido à selecção.
Parabéns e obrigado, Portugal! Sinto orgulho de dizer que sou Português.

A selecção e a imagem do País

Desde que cheguei à Alemanha (2007) já passei em terras germanicas dois campeonatos internacionais de futebol: Euro2008 e agora o Mundial na África do Sul.

Sobre a prestação da selecção Portuguesa pouco há a acrescentar: houve falta de ambição, medo, pouca humildade, e algum excesso de vedetismo. Claro que podemos dizer que perdemos com os campeões do Mundo, mas isso não pode esconder a desapontante prestação dos últimos dois anos.

Há uma outra coisa no entanto que talvez em Portugal às vezes possa passar despercebido a quem não está no estrangeiro. A imagem e pré-conceitos que um estrangeiro (alguem que não conhece em detalhe um determinado país) faz em relação a outro são criados a partir de pequenas amostras dos países, no qual o futebol é um exemplo.

Para minha surpresa (e comparando com o Euro 2008) muitos alemães não simpatizam agora com a nossa selecção, e até chegam criticar. Pude reparar nisso mesmo em todos os jogos em que participámos neste campeonato: muitos alemães torciam pelas equipas contra as quais Portugal jogou (principalmente Costa do Marfim e Espanha). Fiquei surpreendido, pois em 2008 a simpatia em relação a nós era grande. E após alguma conversa cheguei a alguns comentários de alemães (e outros estrangeiros aqui) comuns:

(1) a nossa selecção simula muitas faltas e faz tentar crer que foram faltas - imagem de trafulhas;

(2) Portugal joga demasiado defensivo - imagem de país regular;

(3) O Cristiano Ronaldo é um menino mimado, que se está sempre a fazer a faltas - imagem de falta de humildade.

 

Estas posturas refletem-se claro na ideia que um estrangeiro faz de Portugal. Por isso (caso alguém me ouça nesse rectângulo à beira mar plantado) sejam mais humildes, nada de vedetismo (não somos os melhores do mundo... embora possamos lutar por isso - como a Espanha o fez) e sejamos nós próprios. Eu faço a minha parte enquanto Português emigrado. Façam se faz favor a vossa parte também.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tempo