Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aventuras de um português na Alemanha

A Geração Rasca a aparecer no país

"A educação é muito bonita". Esta frase sempre me acompanhou ao longo da minha educação. Tendo sido criado na classe média Portuguesa, tenho de dizer que a nível de educação os meus pais sempre me deram da melhor. Não faltar ao respeito aos mais velhos, saber comportar-me, usar vocabulário adequado ao sitio em que estava, etc... E acredito que a maioria em Portugal também foi educada assim.

Mas aparentemente nem todos. Tenho reparado nos últimos anos por parte de figuras relevantes na nossa sociedade (principalmente políticos e jornalistas/comentadores) uma postura e tipos de linguagem bastante abaixo do rating da República de "lixo", e que não condiz com a responsabilidade que têm na sociedade. Refiro-me principalmente à forma como alguns se referem por exemplo ao nosso Presidente da República (mas não só). Se é verdade que uma vez o Alberto João Jardim o chamou "Sr. Silva", ele foi nessa altura criticado, e até se entendeu em parte o contexto de o ter chamado, ainda por cima vindo de alguém da mesma geração, e que se conheciam bem. Mas a forma como ultimamente alguns políticos se referem à mais alta entidade do país, é na melhor das hipóteses falta de sentido profissional e sinal de pouca educação. Se em geral a extrema esquerda abusa dessa falta de educação, os exemplos mais gritantes vêm no entanto da deputada Socialista Isabel Moreira, da deputada do Bloco de Esquerda Catarina Martins, e de alguns pseudo-comentadores como o exemplo da jornalista Constança Cunha e Sá.

Para além de a(o)s desprestigiar enquanto profissionais, a forma "arruaceira" como falam às vezes faz-me lembrar a lota de Matosinhos (com todo o respeito que tenho pelas peixeiras de Matosinhos), de onde sou. Estarão o parlamento e as televisões a tornar-se num mercado de peixe?

Tratar o Presidente da República, enquanto a mais alta figura do Estado, por "tu", por "Cavaco", é de uma falta de educação tal que se fossem minhas filhas (e sou mais novo que elas) levavam duas "bufatadas" bem dadas, e ficavam de castigo sem poder usar o Facebook durante 1 semana (no meu tempo era ficar sem poder jogar PC). Ofender o presidente da República à frente das televisões, como se estivessem no café, é algo que ultrapassa o aceitável para alguém que como elas querem ser respeitadas. Quanto mais não fosse porque o Presidente tem idade para ser pai da maioria delas.

Tentei perceber para mim próprio o porquê disto... Não pode ser do partido (o Álvaro Cunhal era um senhor), não pode ser do sexo (muitas mulheres na política e jornalismo têm nível.) Então ocorreu-me o seguinte... Muitos destes "arruaceiros políticos" fazem quase todos eles parte da chamada "geração rasca", geração esta que em 1994 foi assim apelidada porque se concluiu que era...rasca.

É isso... a famosa geração rasca começa agora a tomar lugares de poder em Portugal. Uma geração assim assim, um pouco "esforçada", que não sabia lá muito bem o que queria ser. Isso se calhar explica muito do seu comportamento público.

Se querem ser respeitadas, respeitem primeiro os outros... Elementar, caras deputadas!

9ºC em grande...

Se a gaja que agrediu a professora fosse minha filha levava um enxerto de porrada em casa que não se mexia durante 15 dias.

Em primeiro lugar que é isso de agradir uma pessoa que tem idade para ser avó dela???

No meu tempo (e ainda sou novo) eu tinha respeito pelo professor, quanto mais não fosse não queria falta a vermelho e os meus pais serem chamados.

A culpa disto é porem pessoas a fazerem leis que foram uns frustrados quando eram novos e já nem sequer sabem o que é ser estudante.

Nos últimos anos criou-se a ideia de que não se pode fazer nada às criancinhas que que lhes cria traumas... Que eu saiba, até hoje ninguem morreu por levar uns tabefes nas trombas de vez de em quando. Então, toca a não fazer nada aos meninos, coitadinhos....

Outro dos principais culpados são os pais, obviamente. Que é isso de dizer "já!!!"... Nem o meu pai nem a minha mãe admitiria tal coisa. De certeza que os pais levam da miúda em casa também...

 

Por fim, um aviso aos que querem ser pais: ser pai não é  apenas foder e após nove meses gastar uma pipa de massa em fraldas... É educar também, e transmitir os valores que querem que o vosso filho leve para o futuro. Se não querem ou não têm capacidade de fazer isso, não os tenham, ou então deixem de foder, para não foderem depois o juízo ao pessoal...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tempo