Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aventuras de um português na Alemanha

A Europa num mundo cor de rosa

Quem passa hoje em dia nas ruas de Frankfurt às vezes parece que estamos num país em crise. O crescente número de migrantes que diambulam de forma galupante na cidade, e por toda a Alemanha em geral, começa a tomar proporções que os está a começar a incomodar os alemães, e ao qual os políticos parecem estar a entrar em pânico pela incapacidade de controlar a situação. Se até há 2 meses o problema era principalmente com Romenos e Bulgaros, que vieram para a Alemanha sem qualquer possibilidade de integração, temos agora os refugiados e migrantes dos países fora da EU.

Milhares de migrantes entram todos os dias na Alemanha. Vêm porque fogem da guerra (que nós ajudámos a fazer...), mas muitos, e se calhar a maioria, vêm dos balcãs, do Paquistão, e de outros países que não estão em guerra. Ao dizerem que todos os emigrantes eram bem vindos na Europa, os poíticos de forma geral passaram a mensagem que todos poderiam ficar aqui. Então... toca a bombar para o continente da Esperança, onde se pode ter uma vida com futuro.

Mas esses mesmos políticos esqueceram-se que existem milhões de refugiados atualmente no mundo, e esse pequeno detalhe está a criar agora o caos. A Europa não tem capacidade de absorver em tão pouco tempo uma tal quantidade de pessoas, que são culturalmente diferentes, que não têm qualificações muitas vezes, e alguns nunca terão capacidade de integração na sociedade e no mercado de trabalho.

Quem pensou que estes migrantes, jovens, com potencial, resolveria o problema do envelhecimento da população do velho continente e da falta de emprego técnico, esqueceu-se que ao escancarar as fronteiras, vem tudo... desde os desejados, aos indesejados.

Os media em geral passaram a ideia que os Alemães queriam os emigrantes. As sondagens monstram que a Alemanha quer ajudar os emigrantes. Mas quem não responderia sim à questão "Acha que a Alemanha deve ajudar os migrantes"?. A realidade é que a generalidade dos Alemães acha que a política seguida levará a consequências a longo prazo imprevisíveis na socidade alemã, levarà ao aumento dos extremistas (extrema direita e extrema esquerda), e ao aumento da criminalidade, na medida em que o país nao conseguirá integrar a maioria deles.

Os prórpios emigrantes que atualmente estão na Alemanha estão contra esta avalanche e a forma como está a ser gerida a situação, pois receiam que os Alemães os ponham no mesmo saco.

Os EUA e a Europa acharam, quando patrocinaram a "Primavera Árabe", que tudo seria perfeito: bombardear com drones, sem precisar de por tropas no terreno... Erro crasso (não aprendemos nada com a história... achamos que todos querem viver com os ideais europeus. Errado). E se durante 2 anos a realidade estava longínqua, agora bate-nos à nossa porta e de repente... temos um problema. Mas esse problema estava cá há muito tempo: barcos com refugiados a afundar há mais de um ano que existiam... Quantas crianças morreram durante a guerra na Síria? Ninguem quis saber, estava longe. Mas quando essa morte ocorre na nossa costa, entao temos um problema...

Temos uma cambada de políticos incompetentes, que não têm qualquer noção de geo-estratégia, que tomam decisões sem pensar nas consequências. Isso tem acontecido na guerra no norte de África, aconteceu na Ucrânia, acontece agora com a gestão da crise dos refugiados.

E aqueles que acham que maior integração Europa é o remédio de todos os males, está enganado. Somos diferentes dentro da Europa, pensamos diferentes. As divergências neste caso dos migrantes mostram isso. E os políticos Europeus parecem quere à força impor uma integração que na realidade, a maioria dos cidadãos não quer.

A questão dos refugiados poderá vir a acabar muito mal... de momento o descontentamento dos cidadãos na Aleamnha não é visivel, mas está cá, todos os dias falamos dele nas ruas. E há que não esquecer um detalhe. A Alemanha não vai continuar a crescer, dado a desaceleração da China. E quando o desemprego assolar a Alemanha, bye bye a boa vontade com os refugiados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tempo