Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aventuras de um português na Alemanha

Meia dúzia de anos depois...

Por cá estou, é verdade... 6 anos após de ter chegado à Alemanha, precisamente no dia 11 de Janeiro de 2007.

Recordo-me das primeiras impressões, onde tudo era diferente: os espaços, as pessoas, as vozes, as luzes... Durante os anos fui-me no entanto habituando e integrando nesta cultura que, embora igualmente Europeia, é na realidade bem diferente da Portuguesa. Não é melhor ou pior, é diferente, e com o tempo fui-me habituando a respeitá-la e entender a forma de as pessoas aqui verem e viverem a vida. Estou bem aqui, mas também porque estou com um pé em Portugal, voando muitas vezes para o  Porto para estar com a minha família e os amigos (Salvé Ryanair!).

Acho que após este tempo encontrei um bom balanço: trabalho num país onde gosto, e tenho facilidade de estar muitas vezes durante o ano com aqueles que adoro em Portugal. Sem esse balanço, acredito que já cá não estaria, simplesmente porque não consigo viver sem o carinho da família, sem o sol, sem o mar...

Todos os anos relembro o dia que cheguei a Darmstadt neste blog. A incerteza que tive em alguns anos sobre o que me esperava no ano seguinte, deu lugar neste preciso momento a um grande impulso que me vai permitir continuar a trabalhar no projeto que me tem ocupado nos últimos 3 anos: a LatitudeN. Se algumas vezes duvidei se o que estava a fazer era o correto, agora sei que tudo valeu apena, porque há mais gente a acreditar naquilo que eu vejo como o futuro. Estou muito satisfeito por poder dizer "Não me arrependo das decisões que tomei": sair do país, arriscar, viver no limite.

2013 parece ganho... quanto ao futuro... seja o que acontecer. Sejemos sim felizes naquilo que temos e fazemos. Eu neste momento sou.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    bruno@deutschland 30.01.2013 22:31

    Boa noite Nuno,

    Há diversos empregos em áreas técnicas onde curso não é relevante: carpintaria, eletricistas, soldadores, etc, etc... No entanto, apenas aconselho a atirar-se de cabeça para a Alemanha se:
    - tiver já emprego garantido, ou
    - tiver família ou amigos que o possam apoiar enquanto procura um emprego.
    Se isto não acontecer, e devido ao facto de não falar a língua alemã (que é fundamental aqui), corre o risco de não encontrar emprego, ser explorado a nível de trabalho e acabar por ter de regressar a Portugal após passar dificuldades em sobreviver durante esse período.

    Há alguns sites de procura de empregos, nomeadamente do centro de emprego (Agentur für Arbeit).

    Boa sorte
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Tempo