Segunda-feira, 16 de Novembro de 2015

A Geração Rasca a aparecer no país

"A educação é muito bonita". Esta frase sempre me acompanhou ao longo da minha educação. Tendo sido criado na classe média Portuguesa, tenho de dizer que a nível de educação os meus pais sempre me deram da melhor. Não faltar ao respeito aos mais velhos, saber comportar-me, usar vocabulário adequado ao sitio em que estava, etc... E acredito que a maioria em Portugal também foi educada assim.

Mas aparentemente nem todos. Tenho reparado nos últimos anos por parte de figuras relevantes na nossa sociedade (principalmente políticos e jornalistas/comentadores) uma postura e tipos de linguagem bastante abaixo do rating da República de "lixo", e que não condiz com a responsabilidade que têm na sociedade. Refiro-me principalmente à forma como alguns se referem por exemplo ao nosso Presidente da República (mas não só). Se é verdade que uma vez o Alberto João Jardim o chamou "Sr. Silva", ele foi nessa altura criticado, e até se entendeu em parte o contexto de o ter chamado, ainda por cima vindo de alguém da mesma geração, e que se conheciam bem. Mas a forma como ultimamente alguns políticos se referem à mais alta entidade do país, é na melhor das hipóteses falta de sentido profissional e sinal de pouca educação. Se em geral a extrema esquerda abusa dessa falta de educação, os exemplos mais gritantes vêm no entanto da deputada Socialista Isabel Moreira, da deputada do Bloco de Esquerda Catarina Martins, e de alguns pseudo-comentadores como o exemplo da jornalista Constança Cunha e Sá.

Para além de a(o)s desprestigiar enquanto profissionais, a forma "arruaceira" como falam às vezes faz-me lembrar a lota de Matosinhos (com todo o respeito que tenho pelas peixeiras de Matosinhos), de onde sou. Estarão o parlamento e as televisões a tornar-se num mercado de peixe?

Tratar o Presidente da República, enquanto a mais alta figura do Estado, por "tu", por "Cavaco", é de uma falta de educação tal que se fossem minhas filhas (e sou mais novo que elas) levavam duas "bufatadas" bem dadas, e ficavam de castigo sem poder usar o Facebook durante 1 semana (no meu tempo era ficar sem poder jogar PC). Ofender o presidente da República à frente das televisões, como se estivessem no café, é algo que ultrapassa o aceitável para alguém que como elas querem ser respeitadas. Quanto mais não fosse porque o Presidente tem idade para ser pai da maioria delas.

Tentei perceber para mim próprio o porquê disto... Não pode ser do partido (o Álvaro Cunhal era um senhor), não pode ser do sexo (muitas mulheres na política e jornalismo têm nível.) Então ocorreu-me o seguinte... Muitos destes "arruaceiros políticos" fazem quase todos eles parte da chamada "geração rasca", geração esta que em 1994 foi assim apelidada porque se concluiu que era...rasca.

É isso... a famosa geração rasca começa agora a tomar lugares de poder em Portugal. Uma geração assim assim, um pouco "esforçada", que não sabia lá muito bem o que queria ser. Isso se calhar explica muito do seu comportamento público.

Se querem ser respeitadas, respeitem primeiro os outros... Elementar, caras deputadas!

sinto-me:
publicado por bruno@deutschland às 22:42
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Setembro de 2015

Porque paguei eu para votar no dia 4?

Após refletir bastante, decidi ir a Portugal votar dia 4 de Outubro. 400 Euros foi o preço do meu voto, "patrocinado" a peso de ouro pela Lufthansa. A minha consciência diz-me que o devo fazer, enquanto cidadão atento e revoltado com a incompetência dos políticos em geral.

Tal como muitos outros Portugueses, fui forçado a sair do país e procurar melhores condições noutro país. Portugal não me conseguia oferecer qualquer futuro para quem tem ambição na vida. Até aqui é uma história como de muitos outros milhares de Portugueses. Mas se disser que mudei para a Alemanha em... 2007, então temos de contar uma nova história, pois a minha decisão veio bem antes da crise. Na verdade, eu tinha um emprego em Portugal, numa das maiores empresas portuguesas. Tinha posição de grande responsabilidade, o trabalho era mais que muito. Não tinha no entanto algo importante: perspetiva profissional, e reconhecimento do meu trabalho. Algo importante para mim.

Ao contrário do que muitos pensam, a crise não apareceu apenas há 4 anos. As deficiências estruturais do País, com um setor produtivo quase inexistente, maus gestores e muita falta de culto da meritocracia, são alguns dos fatores que nos últimos 20 anos nos levaram ao declínio. O país viveu durante muitos anos acima das suas possibilidades, muito assente no consumo... um modelo totalmente insustentável. Um mercado de trabalho inundado de licenciados que não tinham empresas para os absorver, entre muitos outros problemas estruturais, era uma bomba relógio pronta a explodir.

Após a intervenção da Troika, Portugal tem devagarinho caminhado no sentido correto. O País, se quer ser competitivo, tem de reforçar em primeiro lugar o setor empresarial, de forma a criar produção e produtos de valor acrescentado. Isso vai criar naturalmente condições para criar empregos com salários bons, sem colocar em causa a competividade das empresas. Depois disso sim, o consumo pode crescer de forma sustentável, sem significar obrigatóriamente um aumento exponencial das importações.

O que o PS promete nesta campanha é exatamente voltarmos ao modelo dos últimos 20 anos. Assentar a economia no consumo irá inevitavelmente aumentar as importações, pois as nossas empresas não produzem os bens que estão associados a essa procura (iphones, carros, eletrodomésticos, etc...). Medidas como reduzir o IVA da restauração (como se o setor fosse mais que muitos outros), ou outras como eliminar portagens em algumas scuts (estou a ter um deja vu de PPPs), é estratégia errada, muito errada. É querer começar a construir a casa pelo telhado, para no curto prazo parecer bonito aos olhos de todos. Mas mais tarde ou mais cedo, a casa volta a cair.

Assim, prefiro o caminho de construir a casa corretamente, a começar pelas fundações, depois as paredes, e daqui a uns anos sim, poderemos aspirar a ter um telhado e uma casa bonita.

Não achando nennhum político especialmente carismático, escolho aquele que acho que é o que pode voltar a dar-me vontade de regressar um dia a Portugal. Dia 4 voto abertamente em Passos Coelho. Não poderia jamais votar em António Costa, que foi um traídor perante o seu antecessor, que não tem conhecimento dos dossiers, que promete muito, e que tem tiques de centralismo (ter sido presidente da capital só traz más companhias). Querer repetir receitas falhadas só pode ser de "burro" (sem querer ofender o senhor). E normalmente barrigas grandes signifca muito comer e pouco trabalho :P

O meu voto vale 400 euros, assim me disse a Lufthansa. Votar é um dever cívico, um exercício que nos obriga a todos a refletir, sem tabus. Há muito que não tinhamos umas eleições em que realmente se falou em progamas em concreto. E ao decidir, temos de pensar naquele que achamos que em 5 a 10 anos poderá trazer o país ao de cimo outra vez. E de todos, o da coligação é na minha humilde opinião o mais consistente. Ao longo dos últimos 4 anos (de forma geral), tem feito um bom trabalho. Podia ser melhor? Sim, podia. Mas a alternativa em Portugal não existe. O António Costa é na minha opinião um produto de marketing político e de suporte dos media instalados em Lisboa.

Resta-nos esperar por dia 4... Lá nos veremos!

sinto-me:
publicado por bruno@deutschland às 21:27
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito (6)
|
Domingo, 15 de Setembro de 2013

A imagem que escandaliza a Alemanha

Começo por apresentar o senhor da foto. Será ele algum comediante? Algum atrasado mental que está bem vestido? Nops.. Ele é Peer Steinbrück, líder do partido SPD (o PS aqui do sítio), segunda força polítical da Alemanha, e que está a disputar as eleições para Chanceler Alemão. 

 

Vamos à história: O desafio que lhe foi colocado parecia simples: a convite de uma revista, ele deveria demonstrar com expressões corporais as respostas que daria às questões colocadas. E qual terá sido a questão que levou Steinbrück a fazer esta imagem ridícula? Será que lhe perguntaram o que tem a dizer do regime Sírio? Será que era para perguntar o que acha do capitalismo desenfreado dos mercados? Não. O Sr. Steinbrück fez este dedo quando lhe perguntaram: "O que tem a dizer de todos aqueles que o têm criticado?". Genial, ele acaba de levantar o dedo a muitos Alemães, ao povo que ele pretende que o eleja. Escusado será dizer que as eleições, se já estavam difíceis para o lado do seu partido, acabaram de ser perdidas!

 

Por uns momentos fez-me lembrar outra personagem bem mais portuguesa. Será que os socialistas Europeus estão a ficar todos com a doença das vacas loucas?

sinto-me:
publicado por bruno@deutschland às 22:06
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2013

A decadência de uma sociedade corrupta

Dedico este excerto da Any Rand a todos nós Portugueses...

 

"When you see that in order to produce, you need to obtain permission from men who produce nothing - When you see that money is flowing to those who deal, not in goods, but in favors - When you see that men get richer by graft and by pull than by work, and your laws don’t protect you against them, but protect them against you - When you see corruption being rewarded and honesty becoming a self-sacrifice - You may know that your society is doomed."

 

Ayn Rand, Atlas Shrugged (1957)

 

* Ayn Rand foi uma famosa escritora e filósofa americana, de origem russa (1905-1982)

sinto-me:
publicado por bruno@deutschland às 16:37
link do post | comentar | favorito
|

...in Deutschland

pesquisar

 

Janeiro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

A Geração Rasca a aparece...

Porque paguei eu para vot...

A imagem que escandaliza ...

A decadência de uma socie...

arquivos

Janeiro 2016

Novembro 2015

Setembro 2015

Junho 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Julho 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Março 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Porque paguei eu para vot...

links

tempo

Visitantes


Visitors Counter

subscrever feeds